Faltam 20 dias para a Oktoberfest! Inspirado no veleiro que aportou em Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, em novembro de 1828, o grupo que participa do desfile Brigue Louise homenageia os primeiros imigrantes alemães que chegaram no estado.

Os 276 alemães à bordo vinham das regiões de Trier, Hunsrück e Eifel, do Estado Renano da Alemanha Renânia Palatinado – Rheinland-Pfalz e colonizaram a região onde hoje fica São Pedro de Alcântara. O município é considerado a primeira colônia alemã de Santa Catarina e fica situada a 30 quilômetros da capital.

“Eram os primeiros imigrantes alemães em terras catarinenses a desembarcarem sonhos, promessas e coragem, inscrevendo seus nomes, bem como do veleiro que os trouxe, na primeira página da história”, conta Mario Müller, líder do grupo.

Para o desfile, a embarcação foi transformada num grande triciclo, traduzindo a história de sacrifício em um momento de alegria e descontração. O projeto foi desenvolvido pelo departamento de engenharia mecânica da UFSC, contando com a colaboração de diversos profissionais para a construção.

Os integrantes, um grupo de oito amigos descendentes de alemães, vêm diretamente de São Pedro de Alcântara todos os anos. Cada carrinho possui o brasão da família dos sócios. Eles buscam divulgar a história destes primeiros imigrantes e retratar Santa Catarina para o Brasil e para o exterior.

“Muitas vezes se acredita que a primeira colônia alemã do estado seja Blumenau ou Pomerode. A participação do Brigue Louise, não apenas enriquece o evento, como também as tradições, os costumes e o folclore de todo o nosso estado”, opina Müller.

Os “briguentos” desfilando em São Pedro de Alcântara. Foto: Arquivo pessoal

Deixe uma resposta