Faltando apenas 12 dias para a Oktoberfest, o especial A Alma da Oktoberfest apresenta dois grupos que reverenciam pilares da cultura alemã. Enquanto o StammtischGruppe cultura a figura do lenhador, que foi fundamental para a colonização em Blumenau, o Cucawagen é um ode aos doces e à gastronomia germânica, em especial a deliciosa e sempre presente cuca.

StammtischGruppe

Uma referência ao passado. Este é o motivo que faz com que o StammtischGruppe tenha como atração principal o carro lenhador. O grupo foi criado em 2014 e reúne 54 integrantes que trazem aos desfiles da Oktoberfest uma das versões sobre como teria surgido o stammtisch, festa em que amigos se encontram para beber, comer e conversar.

Há quem diga que foram os lenhadores da Bavária, na Alemanha, na Idade Média, quem deram origem aos stammtisch. Segundo os relatos, os trabalhadores tinham o hábito de, ao cortar a primeira árvore de um sítio de exploração, fazer uma mesa com o tronco.

Era ao redor desta mesa improvisada e sentados sobre galhos que se reuniam para as refeições e, nos finais de tarde, após uma dura jornada de trabalho na mata, ali se sentavam para descansar e beber alguns tragos de vinho ou cerveja.

Pensando nisso, o StammtischGruppe, criado por amigos que queriam se reunir e festejar, montou um tronco de fibra de 4,5 metros, que abriga o som, os barris de chope e a chopeira do grupo.

A alegoria principal é motorizada sobre o chassi de um automóvel pequeno. Há, também, duas bicicletas de duplo assento que circulam em volta do tronco mais equipado da rua XV de Novembro.

Cucawagen

O nome entrega: a intenção do grupo criado em 2015 é celebrar a cuca, prato típico em Blumenau. O blumenauense Michel Schmitt fundou o Cucawagen, que atualmente reúne cerca de 40 integrantes.

De acordo com ele, a escolha ocorreu após perceber que, apesar da comida ter destaque nos desfiles da Oktoberfest, não havia nenhum carro que trazia um item de café da manhã ou da tarde.

A influência da cuca atinge cada detalhe da atração. O veículo passa abarrotado de pequenos pedaços do doce que são distribuídos à plateia, que ergue a mão na expectativa, esperando pelo agrado.

A música, claro, também é em alusão ao doce mais marcante de Blumenau. A “Rainha do Café Colonial” foi escrita por Rogério França, vocalista da Banda Vox3. O bege do figurino também foi escolhido por causa da cor da massa do bolo.

Jaime Batista/Especial

Deixe uma resposta